Estar apaixonada é…

14351307 – young couple in love, hugging on the street. selective focus.
Publicidade:

por Karen Curi, Revista Bula

Estar apaixonada é morrer de amor e jurar nunca mais morrer de novo e por mais ninguém. É morrer a cada vez que ele não responde às mensagens e renascer das cinzas como uma Fênix quando ele liga para dar bom dia. Estar apaixonada é um vai e vem entre a vida e a morte várias vezes ao dia. É respirar com ajuda de aparelho eletrônico, porque nenhum coração apaixonado sobrevive sem corações de emoticon. Estar apaixonada é achar bonito o que ninguém acha: o cabelo empoeirado, as mãos machucadas, o cheiro de suor, as unhas dos pés, o jeito que ele troca a marcha… Estar apaixonada é dar de presente um cacho de bananas que você trouxe do sítio da família no interior — e depois se sentir ridícula por isso. Estar apaixonada é não controlar a cara de boba diante do outro, é parecer uma adolescente idiota, e constatar ser uma adulta mais idiota ainda. Estar apaixonada é beber porque está feliz, beber porque está com saudade, beber porque está com ciúme, beber porque acha que ele não gosta mais, beber porque está viciada nos beijos dele. Resumindo, estar apaixonada é beber com a foto dele dentro do copo. Estar apaixonada é ouvir Roberto Carlos e cantar Nelson Gonçalves! É deixar aflorar o lado brega, tomar banho de perfume, é não esquecer de passar desodorante nem de usar fio dental. Estar apaixonada é se lembrar de escovar os dentes mais de três vezes ao dia. Estar apaixonada é aposentar as calcinhas bege e sair de lingerie bonita todos os dias. Vai que rola? Estar apaixonada é gastar o dinheiro que não se tem com roupa nova, sapato novo, cabeleireiro, maquiagem. É entrar no cheque especial sem saber como sair e não perder o sono por causa disso. Estar apaixonada é viver em Marte, esquecer a cabeça na Lua e deixar o coração em Vênus. Estar apaixonada é encher o saco das amigas fazendo conexões absurdas entre o seu signo e o dele, é pesquisar sobre os ascendentes e encontrar semelhanças entre uma mexerica e um fio de cabelo, é constatar que a segunda letra do nome dele é a primeira letra do seu último sobrenome. Estar apaixonada é acreditar em destino, em alma gêmea, vidas passadas, amor verdadeiro, Papai Noel e felizes para sempre. Estar apaixonada é ver grandeza onde não há! É olhar para a Lagoa da Pampulha e ver o mar! Estar apaixonada é achar tudo lindo. É querer morar com ele numa cabana no meio do mato e tomar banho de cachoeira. Estar apaixonada é se ver grávida e escolher os nomes dos filhos que vocês nunca tiveram — e achar lindo. Estar apaixonada é ficar cega e enxergar apenas uma pessoa. Estar apaixonada é ir à luta desarmada e entregar os pontos antes de entrar em campo. Estar apaixonada é entregar a chave do coração para o inquilino e confiar que ele não vai furar as paredes. Estar apaixonada é trocar as bolas do amor com sexo, do sexo com afinidade, da afinidade com amizade e da amizade com amor. Estar apaixonada é só pensar naquilo. É pensar que morrer de amor é a melhor coisa do mundo, porque a gente morre depois do gozo e continua vivendo para morrer de novo. Estar apaixonada é isso… É morrer de amor e continuar vivendo. Ridiculamente feliz.

Leia Também>>  A inveja cria um abismo entre o invejoso e o invejado: o sucesso do segundo é o fracasso do primeiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *