Miram Leitão se incomoda com cortes na PF. E os hospitais, as escolas?

Publicidade:

por Fernando Brito, Tijolaço

Miriam Leitão abre espaço na sua coluna econômica para as dificuldades que os cortes orçamentários estão trazendo à polícia:

Um delegado da Polícia Federal contou ao blog que os cortes estão generalizados na corporação. “Tenho viatura parada porque não tem dinheiro pra trocar óleo e pneu. E as que estão rodando estão aumentando a restrição de gastos de gasolina”, afirmou. Um dos principais temores é que o governo Temer utilize a crise econômica e o ajuste fiscal para sufocar a PF e dificultar o combate à corrupção.

À parte o fato de não se ter poupado o governo anterior de acusações de “sufocar” a Lava Jato, cabe perguntar se Miriam não sabia que o arrocho fiscal que ela tanto defendeu, o tal “dever de casa”  orçamentário, ia se fazer sem cortar serviços públicos?

Ou o único serviço público que não pode ser atingido pela tesoura neoliberal é a polícia? Não causa escândalo hospitais fechando leitos, cancelando cirurgias. Ou as escolas em petição de miséria? Ou as administrações estaduais e municipais arruinadas? E os milhares de desempregados pelo fim dos investimentos públicos?

Mas no Brasil de hoje, o maior problema é o camburão…

Leia Também>>  Bolsonaro agride repórter em Brasília

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *